SALVAÇAO DA TUA ALMA

http://www.bispomacedo.com.br VEJA A CONSTRUÇAO DO TEMPLO DO SALMAO CLIQUE AQUI

Liçao de vida

Meus amigos
agora nao tenho escrito nada meu ...
tenho procurado texto para podermos
reflectir , pois muitas vezes temos atitudes que nem pensamos quem podemos magoar...
Espero que estes temas que tenho postado sejam
uteis...
este de hoje me deixou a pensar muito...

A todos desejo tudo de bom.
e façam o favor de serem muito felizes.
M@ri@


Um belo dia de sol, Sr. Mário, um velho caminhoneiro
chega em casa todo orgulhoso e chama a sua esposa
para ver o lindo caminhão que comprara
depois de longos e árduos 20 anos de trabalho.
Era o primeiro que conseguia comprar
depois de tantos anos de sufoco e estrada.
A partir daquele dia, finalmente seria seu próprio patrão.
Ao chegar à porta de casa,
encontra seu filhinho de seis anos,
martelando alegremente a lataria do reluzente caminhão.
Irado e aos berros pergunta o que o filho estava fazendo e,
sem hesitar, completamente fora de si,
martela impiedosamente as mãos do garoto,
que se põe a chorar desesperadamente sem entender o que estava acontecendo.
A mulher do caminhoneiro corre em socorro do filho,
mas pouco pôde fazer.
Chorando junto ao filho,
consegue trazer o marido à realidade,
e juntos levam o garoto ao hospital para cuidar dos ferimentos provocados.
Passadas várias horas de cirurgia,
o médico desconsolado e bastante abatido,
chama os pais e informa que as dilacerações foram de tão grande extensão,
que todos os dedos da criança tiveram que ser amputados.
Porém, o menino era forte e resistia bem ao ato cirúrgico, devendo os pais aguardá-lo no quarto.
Ao acordar, o menino ainda sonolento
esboçou um sorriso e disse ao pai:
-Papai, me desculpe. Eu só queria consertar seu caminhão, como você me ensinou outro dia. Não fique bravo comigo.
O pai, enternecido e profundamente arrependido,
deu um forte abraço no filho e disse que aquilo não tinha mais importância.
Não estava bravo e sim arrependido de ter sido tão duro com ele
e que a lataria do caminhão não tinha estragado.
Então o garoto com os olhos radiantes perguntou:
- Quer dizer que não está mais bravo comigo?
- É claro que não! – respondeu o pai.
Ao que o menino pergunta:
- Se estou perdoado papai, quando meus dedinhos vão nascer de novo?

Nos momentos de raiva cega, machucamos as pessoas que mais amamos,
e muitas vezes não podemos “sarar” a ferida que deixamos.
Nos momentos de raiva, tente parar e pensar em suas atitudes,
a fim de evitar que os danos seja irreversíveis.
Não há nada pior que o arrependimento e a culpa.
Pense nisto!


13 comentários:

São disse...

Parábola muito bonita e muito clara sobre quanto é necessário não nos deixarmos cegar por juízos precipitados, que podem magoar sem remédio quem nos cerca!
Obrigada, minha querida, pela lição!
Te espero sempre!

Paula Raposo disse...

Sem dúvida. Arrepiante e para pensar. Beijos.

Sol da meia noite disse...

Prometo-te que vou pensar...
O meu muito obrigada por este texto.

Muitos beijinhos

Bichinho disse...

Perdoa não andar a postar mas, minha cabeça anda num trubolhão de sensações de medo e amor...beijinho fantasma e, obrigado pela presença.

MIMO-TE disse...

Um texto arrepiante!
Com uma mensagem bem profunda.

Beijos
e muitos mimos

Whispers in night disse...

Ola querida Amiga!
Aqui esta algo que me deixou a pensar....
Uma verdade bem vivida na pele de todos nos.
Orgulho e estupides muitas vezes cega e nao deixa ver.
Vou sim pensar em teu post, obrigado por me dares a conhecer.
Que Deus te de sempre luz no teu caminho e felicidade
beijinhos mil
desta amiga
Rachel

Momentos disse...

Que texto !!!!
Porem verdadeiro demais, tanto que ate doi
Acreditamos k somos seres racionais e inteligentes, mas n�o somos , pois sempre magoamos akeles k mais amamos, isso n�o � coisa de ser inteligente
E mais verdade ainda, pedir desculpas nem sempre faz os dedinhos crescerem outra vez

Espero que alguns k passam por aki e ali possam ler este texto e refletir muito, talvez os dedos k j� se foram n�o possam mais nascer, mas talvez possam pensar na proxima vez antes de tomar atitude t�o irracional

E ainda espero que akeles k tenham tido seus dedos dilacerados, possam contar com a ajude de um cirugi�o k possa implantar outros no lugar dakeles k se foram

Beijinhos, fica com Deus

Carlos D disse...

o ser humano é complicado
temos que respeitar o ser humano
e tambem o nosso planeta azul
e deviam aprender com
esta parabola a não
martelar as mãos do nosso
planeta porque no dia
em que se arrepender
será tarde demais.

muito bonito e com a tua permissão vou copiar e enviar por email.

bjs e um sorriso

Shelyak disse...

Um texto tanto de belo como de triste... e ficar a pensar, sim...importante é que não se pense agora um pouco sobre isto e mais logo esqueçamos...
Beijinho

Visão Caleidoscópica disse...

Linda esta alegoria M@ri@!
Excelente escolha para nos pôr a pensar. Sem dúvida que todos nós já tivemos, em alguma altura da vida, momentos de raiva desmedida que, embora talvez sem consequências físicas tão graves, poderão ter causado feridas na alma de quem sentiu a dor.
Ah...se o arrependimento matasse!!!
Parabéns pela escolha e obrigada por partilhares estas pequenas maravilhas, que tantas vezes nos passam ao lado, mas que representam verdadeiras lições de vida.
Deixo-te um beijinho e um convite se quiseres aceitar um desafio.
:))
Vai ver...
Até mais...

efeneto disse...

...todos nós somos inacabados. Todos nós temos um pouco que é só nosso,e que faz falta aos outros. É nisso que procuramos sempre em cada visita, venho aqui buscar aquilo que me falta e como sempre levo muito mas fico sempre inacabado.
Adorei este texto como sempre. Uma delicia, um espaço acolhedor. Sensação de liberdade de palavras e sentimentos.
Faz-me lembrar quando se entra naqueles pianos/bar onde se respira musica e encanto. Um beijo de agredecimento pela visita.

Entre linhas... disse...

Uma mensagem muito bem concebida,sentida em cada palavra, a calma é palavra de ouro sobre "juizos" precipitados..
Bjs Zita

Olhos de Mel disse...

Oie Maria! Obrigada viu? Amei o texto... Aliás o mundo precisa de refletir muito. As pessoas já não sabem amar, compreender, tolerar...
Beijos